Habitação Faz Rodada de Apresentações sobre as Novas Regras do MCMV

Anúncios

No dia 29 de março a Secretária Nacional de Habitação do Ministério das Cidades, Henriqueta Arantes, divulgou as novidades sobre as regras para quem deseja contratar o financiamento do programa Minha Casa Minha Vida, sendo considerada a modalidade de Faixa 1, à Caixa Econômica Federal, na cidade de Brasília.

Minha Casa Minha Vida – Principais Mudanças

São muitas as mudanças no programa Minha Casa Minha Vida, sendo que as pessoas podem fazer o envio simplificado das propostas aos agentes financeiros.

“Os interessados deverão enviar uma documentação mínima, visando facilitar o processo de seleção”, disse na ocasião, Henriqueta.

“A mudança na forma de contratação busca ampliar a transparência do Minha Casa Minha Vida, além de promover a isonomia de tratamento, aumento de competitividade e qualidade dos produtos ofertados no programa”, explicou a secretária.

São muitas as mudanças no programa Minha Casa Minha Vida 2017. (Imagem: Divulgação)
Anúncios
São muitas as mudanças no programa Minha Casa Minha Vida 2017. (Imagem: Divulgação)

Segundo informações fornecidas pelo vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Souza, que é o secretário de Habitação do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, o Secretário Municipal de Habitação de São Paulo, Fernando Chucre, além de 200 integrantes do corpo técnico da instituição, participaram do encontro, que pode ser visto pelas pessoas também via videoconferência para todo o país.

Minha Casa Minha Vida – Novas Regras para Faixas Intermediárias

A faixa intermediária do Minha Casa Minha Vida que nasceu por meio do governo federal, que ficou conhecida como faixa 1,5, vai ter um subsídio de até R$ 45 mil do governo federal. Para ter acesso a esse valor de subsídio o beneficiário precisa possuir uma renda mensal entre R$ 1.800 e R$ 2.350 para se enquadrar nessa categoria e que vai pagar uma taxa de juros de 5% ano pelo imóvel.

Minha Casa, Minha Vida – Juros Mais Altos do 2016/2017

Os juros do Minha Casa, Minha Vida que serão praticados em 2017 serão, teoricamente, os que são praticados a partir de 2016. Agora, a partir da chamada faixa 2 do programa os juros para famílias com renda de até R$ 2.700 vão ter juros de 6% anualmente.

As famílias com a renda total de até R$ 3.600 pagarão 7% de juros. Anteriormente a essas novas regras quem ganhava até R$ 2.455, pagava 5% ao ano. Já as famílias com renda entre R$ 2.455,01 e R$ 3.275 pagarão 6% ao ano de juros.

Os juros do Minha Casa, Minha Vida que serão praticados em 2017 serão, teoricamente, os que são praticados a partir de 2016. (Imagem: Divulgação)
Os juros do Minha Casa, Minha Vida que serão praticados em 2017 serão, teoricamente, os que são praticados a partir de 2016. (Imagem: Divulgação)

Na Faixa 3 do programa, também terá ampliação do juros. Diante das novas regras quem recebe até R$ 6.500 vai pagar juros anuais de 8%. Antes das novas regras eram cobrados até 7,16% de juros ao ano para quem ganha até R$ 5 mil.

Minha Casa, Minha Vida – Mudanças Começaram a Valer em 2016

O governo federal não divulgou a data do lançamento da terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida e muito menos o valor do investimento liberado. No entanto, sabemos que em 201/2017 isso estará em vigor, certamente.

Minha Casa, Minha Vida – Documentos Necessários 

A documentação necessária para o Minha Casa Minha Vida (apenas do responsável familiar e cônjuge) com as seguintes documentos (cópias) segundo o site oficial do programa:

  1. Carteira de identidade ou outro documento oficial de identificação que conste foto e filiação;
  2. Identidade de estrangeiro, quando for o caso;
  3. CPF – Cadastro de Pessoa Física ou documento oficial que contenha referido cadastro;
  4. Prova de estado civil: certidão de nascimento se solteiro, certidão de casamento ou certidão de casamento com averbação da separação/divórcio ou certidão de óbito do cônjuge;
  5. b) Declaração de União Estável (modelo CAIXA), quando for o caso;
  6. c) Declaração de Beneficiário no PMCMV, Renda Familiar até R$ 1.600,00 – Recursos do FAR (Modelo CAIXA);

Situações especiais

  1. Se estrangeiro: ser detentor de visto permanente no País;
  2. Se impossibilitado de comparecer para assinar o instrumento contratual ou analfabeto é exigida a procuração por instrumento público, ou assinatura a rogo no contrato,acompanhada da assinatura de duas testemunhas.
  3. Se deficiente, apresentar atestado ou laudo médico que comprove a deficiência alegada e que contenha a espécie, o grau ou nível de deficiência e a CID.
  4. Se maior de 18 anos declarado incapaz, apresentar sentença judicial de interdição com a nomeação do curador.
O governo federal não divulgou a data do lançamento da terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida. (Imagem: Divulgação)
O governo federal não divulgou a data do lançamento da terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida. (Imagem: Divulgação)

Minha Casa, Minha Vida – Pré-requisitos

Para poder se inscrever no programa é necessário seguir os pré-requisitos:

  1. Não ser proprietário, cessionário, promitente comprador, usufrutuário de imóvel residencial;
  2. ser ou ter sido arrendatário do PAR ou detentor de financiamento de imóvel residencial em qualquer local do país;
  3. Não ter recebido benefícios de natureza habitacional oriundos de recursos orçamentários da União;
  4. Não estar cadastrado no SIACI e/ou CADMUT, exceção para as operações de Aquisição de Material de Construção (neste caso, o candidato a beneficiário apresentar;
  5. Não estar inscrito no CADIN – Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal;
  6. Renda Familiar de R$ 0,00 até R$ 1.600,00.

Para mais informações acesse o site da Caixa.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Casas Serão Construídas em MG para Famílias Cadastradas no Minha Casa Minha Vida

Next Post

Construtoras Minha Casa Minha Vida

Related Posts